Monday, February 3, 2014

Ano novo, Vida Nova!

A atractividade do mundo rural vive os melhores dias.

O período de maior instabilidade económica que assola o país provocou o despertar de interesse com as oportunidades nos territórios de baixa densidade.

O Programa Novos Povoadores surge para potenciar essas oportunidades e apoiar a migração de famílias e negócios para o interior. Este processo, necessariamente lento, implica mudanças substanciais nos hábitos familiares e coloca novos desafios na esfera profissional. A metodologia desenvolvida visa assegurar um planeamento sustentável da migração nas dimensões social, familiar e profissional.

O sucesso do projecto migratório depende da motivação e do planeamento dos candidatos.

Se é verdade que a economia de base digital veio transformar a ruralidade, as oportunidades que daí nascem carecem todavia de uma matriz para a sua descodificação. Neste capítulo, o Programa identifica alguns aspectos chave que ajudam a definir o projecto migratório: não adianta duplicar investimentos existentes; o mercado local é residual e resistente à entrada de novos actores.

Existe uma multiplicidade de estruturas subaproveitadas que urgem aproveitar, em nome da sustentabilidade das regiões.

O desafio que lançamos aos nossos candidatos consiste em subir na cadeia de valor dos recursos existentes, numa lógica de complementaridade. Em Alfândega da Fé, por exemplo, a cereja é paga a menos 1€/kg e os bombons artesanais de cereja são vendidos a 30€/kg. Uma valorização de 3700% sobre um produto endógeno, a que acresce o licor, o chocolate e a mão-de-obra local. Para isto, é necessário transformar uma cozinha municipal em “cozinha partilhada”. Cada munícipe que a pretende usar paga uma taxa, e pode comercializar os seus produtos certificados.

Todos beneficiam do licenciamento da cozinha.

Para outros sectores profissionais, como os serviços remotos às empresas, as bibliotecas municipais dispõem de diversas áreas que podem ser exploradas para apoio aos novos empreendedores.

Principais sectores de actividade em territórios de baixa densidade: Transformação Alimentar; Agricultura; Apicultura; Upcycling; Serviços Remotos às Empresas; Residências de Artistas; Glamping

Informação complementar e exemplos em http://novospovoadores.pt/oportunidades/

Prevenir a sustentabilidade de todos os intervenientes é a missão subjacente à implementação do Programa Novos Povoadores. O cenário de contenção em que vivemos obriga a maior prudência na hora de investir e cremos que o meio rural pode ganhar outro estatuto no contexto de uma economia responsável.

Importa aplicar princípios de sustentabilidade e eficácia aos recursos públicos, para ampliar o nr de beneficiários com esta nova oportunidade de vida em meio rural.


in Revista Agri, Alexandre Ferraz, Coordenador na Área dos Territórios no Programa Novos Povoadores

No comments:

Post a Comment